slide
slide
slide
Meu nome é Adriano Chazan, tenho 40 anos, moro em Porto Alegre/RS e tenho uma empresa de rampas de Fingerboard. Comprei meu primeiro Fingerboard no final dos anos 90. O Skate de dedo nesta época era de plástico e bem difícil de ser encontrado. O Fingerboard está totalmente ligado ao Skateboard, tanto na parte de peças quanto de rampas, que tendem a ser miniaturas do Skate normal, possibilitando inúmeras manobras com grau de dificuldade variados. Sou apaixonado pelo “mini skate” e me sinto muito feliz de fazer parte da Nano, que é uma marca com uma responsabilidade gigantesca e que está levando nosso esporte para o Brasil inteiro e também para o exterior.
Manobra favorita: Flip.
Me chamo Jean Tavares, tenho 29 anos e moro em Pato Branco, PR. Amo o fingerboard.
Manobra favorita: Flip
Meu nome é João Paulo de Araujo, mais conhecido como John Stump, moro em Pirajuí, interior de São Paulo, tenho 24 anos e pratico fingerboard desde 14 e skateboard desde os 15. Comecei a praticar o fingerboard porque não tinha condições de comprar um skate, o fingerboard na época era mais acessível facilmente encontrado em lojas locais. Desde que comecei, sempre imaginei uma marca que unisse fingerboard com skateboard e hoje isso é real e sou muito grato por fazer parte disso. Não tenho palavras para explicar a minha paixão pelo fingerboard, simplesmente faz parte da minha vida, da minha história, não me vejo sem ele.
Manobra favorita: Fakie FS Heelflip Blunt
Meu nome é Rodrigo Rossi, tenho 28 anos, pratico fingerboard desde 2000, moro em Vila Velha, ES e sou dono de uma skateshop online. Comecei a praticar o fingerboard quando houve a primeira "febre" no Brasil, e como os picos de skate eram longe de casa, o fingerboard era uma maneira de matar a vontade de andar de skate. A medida que aprendia novas manobras fui ficando cada vez mais viciado no "skatinho" e consequentemente necessitando de peças melhores. É uma honra fazer parte da Nanoboards que aproxima o fingerboard do skateboard, divulgando ainda mais nossa cena e mostrando que se trata de um esporte com infinitas possibilidades de manobras que exigem prática e disciplina para executá-las.
Manobra favorita: Nollie Flip.